OE 2019: CSP enviou carta ao Parlamento

A Confederação dos Serviços de Portugal (CSP) considerou que a proposta de Orçamento de Estado (OE) apresentada pelo Governo ficou novamente aquém das expectativas das empresas e não corrigiu as fragilidades estruturais da nossa economia. Esta posição foi expressa numa carta enviada a 26 de novembro à Comissão de Orçamento, Finanças e Modernização Administrativa (COFMA). Nesta carta, assinada pelo seu presidente, Jorge Jordão, a CSP deu conta das suas preocupações face à proposta orçamental para 2019

Numa altura em que o crescimento potencial da economia portuguesa persiste em ficar abaixo dos 2%, como indicam as últimas previsões, a CSP considerou estarmos perante um Orçamento que deveria ter sido aperfeiçoado para promover a competitividade empresarial.

A CSP considera ser necessária uma séria aposta na previsibilidade e diminuição da carga fiscal. De acordo com o Barómetro “Economia e Empresas” da CSP, 96% dos empresários portugueses consideram relevante (13%), muito relevante (34%) ou totalmente relevante (49%) uma redução da carga fiscal sobre as empresas que, se incluirmos as derramas, ascende a mais de 31,5%, ou seja, 10 pontos percentuais acima da média europeia.

OE 2019: CSP enviou carta ao Parlamento